Você não é dono da cultura pop

Não. Você não é dono de Star Trek, ou Star Wars. Ou do Batman, ou da Mulher Maravilha. Nem mesmo do Doutor estranho. Com você, me refiro a aqueles que julgam os outros, porque começaram a ler algo, ou assistir, só porque um filme sobre foi lançado. Ou um material novo foi disponibilizado.
Recentemente, pude ver com meus próprios olhos mortais, pessoas chamando outras de modinha, só porque os mesmos disseram que gostavam do Doutor Estranho. E antes disso, do lançamento de Star Wars episódio 7, presenciei o mesmo ato, só que desta vez com a obra de George Lucas. Por isso, a necessidade bateu em mim de fazer este post, como bateu das ultimas vezes que critiquei certos atos da internet. Infelizmente, só não falo de política porque é um site da DC. Hoje, aqui, agora, vamos provocar outra discussão entre nós. Quero que pensem. Você é mesmo dono de algo?
As pessoas não podem gostar do que você gosta? Você se acha dono desta coisa? Pois se você acha isso, está errado.

Eu conheço muitos nerds como eu. Mais velhos, mais novos. E costumo ouvir suas histórias, de como era ser nerd antigamente. A coisa que eu mais ouço, é de que não era tão fácil como se é nos dias de hoje. Como muitas coisas na realidade.
Antigamente, ser nerd não era nem um pouco fácil. As pessoas que se consideravam nerds, eram considerados infantis. Existiam pouquíssimas pessoas nerds. Star Wars, era considerado um filme infantil, e idiota. Os nerds costumavam sofrer bullyng.
Você tem ideia do quão privilégiado é de nascer nessa geração? Se você não tivesse nascido nesta geração, como eu, e fosse nerd, provável que sofreria bastante.
Por que não deixar as pessoas se tornarem nerds como você? Todos tem direito de gostar de Star Wars. E Star Trek. Ou Batman. Tanto faz. Você não pode impor a elas como “modinhas” como se fosse dono da personagem ou da franquia. Porque você não é… Vivemos em uma sociedade livre. E é bem mais fácil achar coisas do Batman para ler pela internet a fora do que era antes. Hoje todos têm acesso a internet de maneira rápida, sim rápida, ainda mais se compara a internet discada, e mais, barata.
O problema, é claro, acontece quando a pessoa se auto declara “fã”, e acha que é só preciso que os filmes sejam vistos para isto. Não. Eu já disse isto antes. Não é bem assim… Isto vai contra todo significado da palavra (Sim, eu pesquisei). Se você acha que é fã do Batman, por exemplo, e nunca leu uma HQ na vida, você está errado. Ou se considera fã de Star Wars e nunca viu o episódio 7, novamente está errado. Quando você é fã, torna-se alguém que cultua aquilo. Como eu sou de várias coisas.
Um exemplo recente foi o do Batman v Superman. Eu, por exemplo, adorei o filme. Fiquei feliz com ele. Me diverti. O problema, foi quando eu cheguei em casa, e me deparei pessoas ficando revoltadas com as opiniões das outras. Como se quando a pessoa não gosta do que a outra gosta, ela fosse algo como Adolf Hitler. Todos tem direito a dizer o que acham do filme. E se o mesmo não gosta de algo, pode ser discutido, mas a agressividade não deve prevalecer em relação a isto. Se todos tivessem opiniões iguais, imagine a sociedade igualitária no sentido de pensamentos?
Eu sempre reclamo que a falta da busca de informação é um problema constante na sociedade brasileira. Eu não tenho nada contra ninguém mesmo. Sinceramente. Quando digo que tenho algo contra alguém, podem acreditar que estou apenas brincando. Todos tem direito de dar sua opinião, e de ter uma, de achar algo. Mas você, caro fã de algo que não conhece, não pode opinar por tal coisa, sem conhecimento para tal. Certo que… Histórias em quadrinhos não agregam tanto por exemplo quanto filosofia, história, biologia ou… Física Quântica, coisas como estas que considero importante para evolução da sociedade. Histórias em quadrinhos são puramente entretenimento. Como qualquer romance, é possível ser utilizado para criticar, ou fazer pensar. Como várias HQs que eu amo de todo coração de nerd. Porém, apesar de não ser “Importante” para a evolução da sociedade, a falta de leitura de algo assim, para o conhecimento agregado, e a tentativa de opinião baseada em nada, mostra cada vez mais que as pessoas não estão com vontade de ler. E isto é péssimo, porque leitura influência o aprendizado das coisas importantes citadas acima.
Eu aprendi a ler com histórias em quadrinhos. Me alfabetizei com tais. As HQs são a porta de entrada para outras coisas. Assim como vários outros tipos de leitura são. Então, HQs tem sim sua importância, menor, porém tem.

Voltando a aqueles que julgam os outros que dizem terem começado a ler algo só pelos filmes, ou lido algo por um filme, parem. Precisamos do máximo de nerds possível. Todos tem o direito de ler, ou ver aquilo que você gosta. Você não é dono de algo só porque você gosta. Deixe as outras pessoas gostarem do que você gosta, e se possível a ajude. Se há algo na bíblia que eu havia lido, e admirado, são os provérbios que pregam respeito ao próximo (sem querer trazer religião a pauta, mas já trazendo) não respeite o próximo apenas para ir ao céu. O próximo merece respeito. Assim como você

No Brasil estamos acostumados de tal forma ao ódio gratuito, que começamos a nos acostumar demais com isto. Vamos pregar a paz por favor, não o conflito por algo que deveria ser admirado, como são as histórias em quadrinhos, que eu considero coisas extremamente interessantes.

Mais uma vez cá estou eu pregando a busca por informação, e separação entre ideia e crença. Crença é algo que não deve ser discutido em momento algum, porém é claro, isto não nos impede de discutir ideias. Elas devem ser discutidas para a evolução conjunta da sociedade atual. Ainda mais em tempos como estes que estamos na minha querida pátria, onde o ódio é disseminado facilmente. É assim que a democracia funciona. Nós falamos entre si.

Eu realmente precisava desabafar… Não que eu ache que irei mudar algo mas… Espero que ao menos esteja marcado que quero dizer.
Não preciso dizer que muitas das coisas ditas por mim aqui são ideias, e estando aqui, devem ser discutidas. Comentem aqui em baixo o que acharam do post, discutam, porém em harmonia, sempre com respeito. Não é necessária a agressividade. É ela que piora tudo.

Raysom

Bacharel em Administração, DCnauta de coração, empreendedor viciado em chá, guitarrista aposentado, co-fundador da DC Brasil Club, Sindicato Nerd e Marvel Brasil Club.

%d blogueiros gostam disto: