THE FLASH: Aquele episódio confuso no início, meio e nem tanto no fim

O presente artigo possui spoilers do episódio de número 02 da terceira temporada da série, leia por sua conta e risco.

Dirigido por David Kob, o segundo episódio da terceira temporada da série The Flash, intitulado Paradox dá continuação a toda a trama que Barry Allen (Grant Gustin) irá suportar com a nova linha temporal que está vivendo.

Recapitulando: no episódio anterior Eobard Thawne (Matt Letscher) ajudou Allen a voltar no tempo e consertar o que ele havia feito, isto é, matar novamente Nora Allen (Michelle Harrison) para que toda vida a qual Barry já viveu e acompanhamos durante duas longas temporadas, voltasse. Todavia, Thawne deixa claro que as coisas voltaram ao normal, pelo menos para ele, enquanto para o Flash, ele irá ver com os próprios olhos, deixando um mistério no ar.  Posteriormente, nota-se que Iris West (Candice Patton) não mais conversa com seu pai, Joe West (Jesse L. Martin), e a partir daí o episódio #02 se inicia.

Toda a trama é de certa forma agonizante, pois Barry evita a todo custo contar para todos que voltou no tempo, salvou sua mãe, mas percebeu que isso começou a causar problemas e então voltou novamente no tempo para “consertar” as coisas. Sucede-se que, o episódio deixa tanto Barry quanto o espectador confusos, visto que algumas coisas estão diferentes; sendo estas as seguintes:

1. Julian Dorn: interpretado por Tom Felton (conhecido pelo papel de Draco Malfoy em Harry Potter), é um colegamlfo
de trabalho de Allen que surgiu nessa nova realidade, e a relação de ambos não é
nada amigável. Os motivos
que levam Julian e Barry não se darem bem não é muito explorada ─ talvez venha ser em episódios posteriores ─, deixando o espectador levemente confuso dos motivos que levam Dorn a não gostar de Allen. Inclusive, como Barry acabou de voltar de uma viagem no tempo, ele também não entende muito bem o que está acontecendo, mas já notou que Julian não é uma pessoa nada agradável.

2. Dante Ramon, irmão do Cisco, está morto: não espere um Cisco Ramon (Carlos Valdés) como estamos acostumados; neste segundo episódio Ramon está extremamente rancoroso, pois seu irmão Dante faleceu em um acidente, e segundo conta, Barry se recusou por diversas vezes em voltar no tempo para evitar a sua morte.

3. Existe uma ceita em Central City, e seu líder é ALQUIMIA: Edward Clariss (Todd Lasance) continua ouvindo vozes e vendo a palavra Alchemy (Alquimia) escrita em todos os cantos; sendo levado a um local ainda não revelado, onde se depara com algumas pessoas em posição a qual remete a ideia de que elas estão cultuando alguma coisa. Neste instante Alquimia é revelado, ofertando a Clariss a velocidade que possuía no Universo “Ponto de Ignição”.

O drama do episódio gira em torno do fato de que Cisco está de luto pela morte do irmão e com raiva de Barry por ele não atender a seu pedido, bem como Iris e Joe não se falarem. Contudo, Joe acaba por explicar a Barry que ele e sua filha não se falam, pois ele escondeu toda a história sobre sua mãe.

LEMBRETE: Na segunda temporada nos deparamos com a aparição de Francine West, mãe de Iris e Wally West, a qual foi diagnosticada com a Síndrome de MacGregor’s; e assim como nessa nova realidade, na anterior Joe não contou a verdade sobre Francine à Iris, que quando descobriu ficou furioso com seu pai, vindo nesta a fazer as pazes pouquíssimo tempo depois.

Sanadas as maiores dúvidas sobre o relacionamento das personagens, Barry marca um jantar no intuito de resolver os conflitos, que acaba não dando muito certo sendo interrompido por um alerta de ataque meta-humano, o qual era de ninguém mais, ninguém menos que O Rival, Edward Clariss.

Flash se espanta ao ver Rival, que conta ao Velocista que se lembra perfeitamente do que aconteceu no outro universo, culpando-o severamente de ter retirado dele toda a maravilhosa vida que levava. Os efeitos especiais durante a batalha das personagens melhoraram bastante, estão bem mais interessantes e levemente mais ricos em detalhes; destaque especial precisa ser dado a roupa de Clariss, que durante determinada cena evidencia os detalhes amarelos e vermelhos do uniforme.

Após a primeira batalha, quando Barry retorna ao Star LABS, Iris o questiona sobre a discussão que teve entre ele e O Rival, exigindo explicações. Allen evita responder a suas perguntas, se limitando a dizer que irá consertar as coisas, dando as costas à Iris e entrando na Força de Aceleração para novamente voltar o tempo.

Felizmente é impedido por Jay Garrick (John Wesley Shipp), que lhe dá uma lição sobre como funcionam as viagens no tempo e suas consequências; explicando que não importa quantas vezes volte no passado, nunca conseguirá deixar o futuro da forma como antes era, portanto, como herói ele deveria suportar os resultados de seus atos, fossem positivos ou negativos e seguir em frente.

Orientado pelo Flash da Terra-2, Barry resolve explicar a seu time o que realmente está acontecendo, dizendo que voltou no passado causando alterações na realidade, e que esta nova possui pequenas diferenças da anterior.

No decorrer do episódio há uma nova batalha entre O Rival e Flash, a qual se dá de forma intensa, vez que Alquimia ciscoaparece para ajudar o vilão. Contudo, a melhor parte não é ver a luta entre Rival e Alquimia contra o Flash, mas sim durante seu clímax ter ocorrida a icônica aparição de Cisco Ramon como VIBRO! Sim, Vibro finalmente é apresentado na série de forma devida, usando seus poderes sem quaisquer receios, inclusive ele está utilizando não só o óculos já construídos outrora, mas também luvas para auxiliar na manipulação dos poderes.

Com Clariss preso e toda a relação entre as personagens restabelecidas, o episódio vai se finalizando, podendo o espectador fã do Velocista comemorar o fato de Iris e Barry finalmente estarem juntos ─ como fã, espero que os diretores não resolvam fazer eles terminarem novamente e toda aquela historinha chata de vai e vem que eles fizeram nas outras temporadas.

A cena final do episódio mostra Edward dentro da cela e a voz de Alquimia novamente ecoando, esta afirmando que ele falhou com sua missão, e assim se tem o fim dO Rival, morto pelas mãos do Doutor Alquimia.

alchemy

CONTRAS

O episódio em si, na opinião particular deste quem escreve o presente artigo, carece de pontos negativos, porém não inexistem; Caitlin Snow (Danielle Panabaker) apresenta em uma das cenas que agora também possui seus poderes de gelo, ou seja, teremos a personagem Nevasca nesta temporada. Contudo, o que torna isto um ponto negativo é que, Caitlin, não irá revelar que é detentora de tais poderes tão cedo, e o motivo? Sinceramente não encontro, e se talvez forem apresentadas justificativas, estas cairão na mesmice de “Eu estava com medo de revelar para vocês, porque não quero ser do mau, blá blá blá”.

Ainda, há de se considerar a segunda batalha de Flash versus O Rival, que em determinado momento deixou a desejar, pois o antagonista simplesmente ficou correndo para os lados sem qualquer propósito, para só depois de alguns poucos minutos arremessar o Velocista em algo que parecia ser um barracão.

PRÓS

Em contrapartida o episódio possui muitos pontos positivos, uma vez que todas as cenas foram muito bem equilibradas, conseguindo transmitir a emoção que cada uma carregava. Desconsiderando o ponto negativo acima apresentado, as cenas de luta foram dentro da média para uma série como The Flash, os efeitos especiais e a aparição repentina de Vibro contribuíram para isto também.

Os discurso motivacionais foram inexistente, a conversa entre Jay Garrick e Barry Allen nem de longe pode ser considerada como esse tipo de discurso, pois foi na verdade uma orientação, uma explicação para deixar claro tanto para o espectador, quanto para o Velocista que viagens no tempo não eram boa ideia que não devem e não vão mais acontecer (assim esperamos, certo?).

O final do episódio deixou claro que Alquimia será o antagonista-mor dessa terceira temporada, e felizmente não há necessidade de esconder sua identidade, sequer de se preocupar em futuramente a revelar. Ele é aquele tipo de vilão que independe saber quem é ou não, pois a história irá discorrer de forma excelente independentemente disto.

Assim, a nota numa escala de 0 a 10 para o segundo episódio da terceira temporada de The Flash é: 10/10.

Christian

Curso Direito, gosto de criar o caos opinando sobre política (Imposto é roubo), sou fã de quadrinhos em especial o Flash e é isso ai

%d blogueiros gostam disto: