Séries/TV
190Visualizações 0comentários

THE GET DOWN | Crítica 1ª Temporada

Poron Maio 4, 2017
Detalhes
 
Sinopse

Ambientada na Nova Iorque dos anos 70, The Get Down conta como o Bronx, uma das áreas mais violentas da cidade, deu inicio a cultura do hip hop.

Elenco Principal

Justice Smith, Jaden Smith, Shameik Moore, Herizen Guardiola, Shylan Brooks, Tremaine Brown Jr,

Pontos Positivos

- Roteiro inteligente
- Personagens interessantes
- Ótima trilha sonora
- Sabe como falar de problemas sociais

Pontos Negativos

- É lenta em diversos momentos

Nota do editor
 
Roteiro
80%

 
Fotografia
100%

 
Elenco
90%

 
Ambientação
100%

Nota geral
93%

Hover To Rate
Nota dos usuários
 
Roteiro

 
Fotografia

 
Elenco

 
Ambientação

Nota dos Usuários

Você classificou isso

 

Eu não esperava nada de The Get Down, e assisti a primeira parte da temporada porque não tinha nada melhor na Netflix, isso em agosto do ano passado. Eis que então, descubro uma das maiores obras-primas do serviço.

Na visão do jovem Ezekiel “Books” (Justice Smith), acompanhamos o nascimento do hip hop nas ruas do Bronx. Books descobre seu talento como MC e se junta a um grupo de jovens com a ajuda de Shaolin Fantastic (Shameik Moore), seu melhor amigo e DJ.

Quando eu digo que a série é uma obra-prima, não estou exagerando. Em termos de qualidade, é provavelmente a melhor série que a Netflix já produziu — no mesmo patamar de grandes produções, como House of Cards The Crown. 

Mesmo assim, ela possui um estilo narrativo muito próprio e característico; Boa parte disso é culpa da trilha sonora impecável e a sensação que a série transparece. Mesmo assistindo a todos aqueles problemas (drogas, tráfico e pobreza extrema), você sente como arte traz esperança para os personagens.

Existem diversos personagens em ambientes tóxicos, mas, mesmo assim, quando estão fazendo o que amam eles se encontram.  É como se alguém ficasse sussurrando que no final tudo vai ficar bem, mesmo que não fique.

Além dos problemas tradicionais de um bairro pobre (tráfico, exclusão social e etc), o programa trata muito bem de outros aspectos, tão preocupantes quanto. O núcleo de Mylene (Herizen Guardiola), por exemplo, fala sobre machismo e fanatismo religioso.

The Get Down foi dividida em duas partes, e é nítida as diferenças da primeira para a segunda. A primeira parte é muito mais focada em construir seus personagens, te fazer entender suas motivações. Já a segunda é muito mais densa, e mostra as consequência direta de certas decisões. Além de que muitas cenas na segunda parte foram representadas em animações.

Eu não preciso nem falar sobre como o trabalho de imersão cultural é feito com maestria aqui. Estamos falando de uma série que tem o intuito de nos contar o nascimento de um movimento artístico importantíssimo nos EUA, e você só vai entende-lo por completo se entender o contexto em que o mesmo foi gerado.

O contexto gera a arte, não o contrário. Quando você entende a pobreza extrema que ali existia e o sentimento de abandono que aquele povo sentia, vai conseguir compreender como aquela música era o único jeito que as pessoas encontraram de serem ouvidas e a paixão que tinham por aquilo. Ela não quer apenas te contar uma história, quer te fazer entende-la por completo.