OPINIÃO | Liga da Justiça traz possíveis pistas a mistérios do Rebirth

É bastante comum descobrir pistas inesperadas sobre o mistério do Rebirth nos títulos da DC Comics, mas a “Liga da Justiça” de Bryan Hitch permaneceu praticamente inalterada pela trama de Watchmen que lentamente se insinuou no Universo DC.

Enquanto a série de Hitch é firmemente montada na continuidade atual, é como se não fosse realmente parte da história abrangente. Parte disso é devido aos atrasos que atingiram o seu enredo pré-renascimento, resultando em um malabarismo em “Liga da Justiça” envolvendo tanto o Superman pré-Flashpoint quanto sua contrapartida dos Novos 52, muito tempo depois da morte deste último. No entanto, agora que as histórias de Hitch alcançaram o cronograma atual, parece que os leitores podem ter mais uma série a ser observada enquanto o Renascimento continua em direção ao inevitável clímax.

Em “Timeless”, o mais novo arco da Liga da Justiça que começou na edição 15 da semana passada (Estados Unidos), Hitch e os artistas Fernando Pasarin e Matt Ryan contam uma história um tanto desconjuntada envolvendo uma raça de seres conhecidos como Timeless. Como explicado pela nova personagem Molly, também conhecida como The Keeper, os Timeless “são uma espécie de movimento religioso que acreditam que poder (como os que a Liga da Justiça possui) é algo que nunca deveria ter existido na Terra”. Dessa forma, eles começaram a atacar a Liga, resultando na aparente morte de personagens como Lois Lane e Jonathan Kent, respectivamente esposa e filho de Superman.

A edição revela ainda alguns futuros possíveis, que podem oferecer vislumbres para os quais alguns aspectos da história do Rebirth estão se dirigindo. Em um futuro, nós encontramos uma espécie de Tropas da Terra parecidas com Lanternas Verdes no século XXVI; seus uniformes parecem muito com aqueles da Tropa dos Lanternas Verdes, embora os símbolos da lanterna incorporem uma imagem de nosso planeta. Nesta era, os Lanternas Verdes foram banidos da Terra (semelhante ao que ocorreu na velha da continuidade DC), deixando Simon Baz e Jessica Cruz deslocados no tempo em uma posição desagradável, para dizer o mínimo.

Mas a maior provocação aqui é o “drone de segurança” que parte em direção à energia de luz verde de Baz e Cruz e assim confronta o par: é suspeitamente parecido  com o notório Olho de Ekron da Imperatriz Esmeralda, um dispositivo de poder maciço que tem laços tanto com os Lanternas Verdes e a Legião dos Super-Heróis. O Olho e sua amante são inimigos de longa data da Legião, mas certa vez, o Olho era um olho de verdade, pertencente ao ser cósmico conhecido como Ekron, que tinha poderes nada diferentes daqueles da Tropa dos Lanternas Verdes. Ele foi roubado de Ekron por Lobo durante o curso do evento semanal da DC chamado “52”, em 2006, essencialmente dando ao Olho uma origem secreta enraizada no século 21 ao invés da 31ª.

Embora estando em falta nos Novos 52, o Olho e a Imperatriz vieram à vanguarda do Rebirth em “Liga da Justiça vs Esquadrão Suicida”, que viu o par no período de tempo atual sendo enviado a seu passado em uma caça à co-fundadora da Legião, a Moça de Saturno (ou Satúrnia). A heroína telepática foi vista na era do Rebirth, como uma personagem confusa no especial inicial do Rebirth, e mais tarde como uma prisioneira do Asilo Arkham.

E então, há a outra grande revelação da publicação: o Ciborgue encontra-se despejado no século 31, onde ele é imediatamente confrontado por Brainiac 5, membro da Legião dos Super-Heróis. Embora nós tenhamos visto a Legião em ação desde o reboot dos Novos 52, ela tem estado em vários lugares. Primeiro, vimos uma equipe de legionários tentando escapar do século 21 na curta vida da “Legião Perdida”. Essa equipe voltou para a Saga Infinito da Liga da Justiça Unida, em que finalmente volta para casa; Brainiac 5 é responsável pelo futuro do grande supergrupo.

É muito cedo para determinar a posição ou nível de importância que Brainy irá ter na história da Liga da Justiça, a julgar pelos poucos painéis em que aparece nesta publicação. No entanto, a aparição do herói de pele verde em seu famoso terno roxo, passeando pelas ruas de Metrópolis do século 31 e mencionando a polícia da ciência, certamente dá aos fãs a esperança de uma aparência significativa, em vez de um mero Cameo.

É questão agora é saber quais destas realmente são pistas. Dado o quanto essa história é afeita a mudanças temporais, pode ser que esses sejam apenas futuros alternativos, que não representam o que o Rebirth tem guardado para os heróis da DC. Mas, como já estamos entrando no segundo ano da história, uma coisa que nós sabemos é que essas revelações vão chegar cada vez mais rápido enquanto as peças envolvidas no fim da trama de Geoff Johns são postas em posição para o Finale, em 2018.

 

Fonte: artigo original postado por Stephen Gerding em CBR.com

 

Caio Vinícius

Após a mordida de um gafanhoto radioativo, ganhou poderes sem igual. Com isso, jurou combater o crime com tamanha destreza !

%d blogueiros gostam disto: