MANGÁ l Solanin e a eterna pressão em cima dos jovens adultos

Apenas imagine um grupo de amigos: Passados da casa dos 20 anos, todos formados em suas faculdades mas sem saber ainda o que querem da vida. Todos se deixando levar pela maré, apenas sobrevivendo. Agora imagine um deles tomando uma decisão radical e decidindo quebrar essa mesmice imensurável. Loucura? Talvez. É exatamente sobre isso que o mangá Solanin de Inio Asano fala, ou melhor, grita para nós.

A vida é rodeada de dúvidas, na verdade, ela em si é uma eterna dúvida e muitos ao se verem jogados na fase adulta simplesmente não sabem o que fazer, não sabem como reagir e apenas decidem aceitar a imposição de que aos 20 precisam estudar, aos 25 se casar e com 30 ter um filho, uma casa e um cachorro. Para alguns, tudo isso é um sonho, uma meta de vida mas para muitos é um pesadelo. Em cima dessa premissa nos é apresentado o casal Taneda e Meiko, ambos juntos há anos, ambos acomodados em sua relação e vida, até que Meiko em um ato impulsivo e libertário decide pedir demissão de seu trabalho, trabalho este que a consumia, drenava suas energias e vontade de viver. Afinal, o que fazer quando nos é imposto que o medo de ser abocanhado pelo sistema deve prevalecer sob nossa vontade de viver plenos?

Meiko, a jovem moldada para o futuro representa toda uma nação de jovens adultos que crescem num piscar de olhos, e se deparam com uma sociedade extremamente regrada e segregada, onde veem-se obrigados a encaixar suas vidas em nichos existentes, com pouca voz ativa e sem tempo para expressar sentimentos verdadeiros. Sentimentos esses que se tornam cada vez mais pesados e insuportáveis de serem carregados sozinhos. O jovem, não é preparado para a vida, ele é moldado para viver no automático. O jovem precisa de voz e espaço. O jovem precisa de uma luz no final do túnel.

“… Bem, talvez eu esteja um pouco perdida.”

Taneda, o jovem inconformado com seu futuro, representa os jovens adultos, que acabam não sendo levados a sério. Taneda, é o jovem que aos 20 e poucos ainda não sabe o que quer da vida, que a única certeza nela é que ele não pode viver o que lhe é imposto mas sim o que lhe faz feliz. Taneda, infelizmente, é o nosso grito de liberdade que a cada dia que passa é ouvido um pouco menos e esquecido ainda mais. Taneda são nossos sonhos que acabam sendo deixados de lado. Taneda é a força da juventude que muitas vezes não é levada a sério.

Segundo a BBC, no Japão, um dos países com o maior número de suicídios no planeta (quase 70 por dia), a taxa entre os mais jovens que figuram entre os 20 anos vem aumentando consideravelmente e muito disso se dá por conta da enorme pressão que lhes é colocada em cima de sua situação financeira. O Japão é um país onde reclamações não são bem aceitas e virtudes são impostas, e no meio de tudo isso temos os jovens que veem no suicídio a única maneira de acabar com o tormento que são suas vidas.

Nos é ensinado que a sociedade é brutal e implacável para aqueles que não estão preparados. Ensinado que precisamos a todo momento saber como falar, agir e onde ir, mas é esquecido que por baixo do uniforme ou do terno, existe o medo, a insegurança, a vontade de sair correndo. É esquecido, que muitas vezes, existe um “Taneda” dentro de cada um de nós, que só precisa ser ouvido, que só precisa de um voto de confiança. Por que no final tudo que a gente precisa, as vezes, é de momentos de indecisão, insegurança e de vontade de sair correndo, para então percebermos que a vida é muito maior que aquele trabalho no escritório. É clichê mas vida é curta, e realmente é pra ser vivida.

Solanin nos pergunta constantemente se somos felizes, se vivemos ou apenas sobrevivemos. Se estamos fazendo todo o possível para não perdermos a esperança. Solanin é uma autocritica que cada um de nós deve fazer.
Você, sim você ai que leu até aqui. Afinal, está satisfeito com a maneira que leva sua vida?

“… Talvez eu tentarei nadar contra a correnteza.”

 

%d blogueiros gostam disto: