OPINIÃO | Visão é a mistura perfeita de terror, filosofia e Sci-fi

Visão foi, sem dúvidas, um dos melhores quadrinhos que já lemos. Escrita pelo Tom King – que agora comanda um título do Batman — a HQ é a mistura perfeita entre ficção científica, suspense e terror.

Aqui, acompanhamos a Família Visão, formada pelo seu patriarca, o próprio Visão, sua esposa Virginia e seus dois filhos: Viv e Vin. Todos androides.

Eles são o maior estereótipo da família perfeita americana, tanto que são programados para exercer esse tipo de função no lar. É claro que isso jamais daria certo e começam a surgir diversos conflitos.

E é aí que a magia começa. Eles não conseguem confrontar esses problemas, e o desejo de serem perfeitos é o que os mata por dentro.

Virginia é uma personagem que mostra isso muito bem essa faceta. Faz de tudo para ser uma ótima esposa e mãe, mas sente que algo em todo aquele emaranhado não faz o menor sentido e quando as coisas fogem do seu controle, ela começa a enlouquecer. A brincadeira mora bem ali: quanto mais ela enlouquece, mais humana acaba se tornando. Você sente compaixão por ela, por sua luta e por alguns segundos se identifica com a angústia daquela mulher.

Viv e Vin também são outro aspecto a ser destacado. Se com Virginia o ponto de imersão era a dor de não conseguir fazer o necessário para salvar sua família, com os adolescentes as coisas são um tanto diferentes. Eles não se sentem iguais aos outros, por mais que seu pai diga que eles devem se comportar como os outros.

Como quaisquer outros jovens, não sabem lidar com as situações chatas em casa; a dificuldade de se enturmar e o sentimento de não pertencer a lugar nenhum os consome, e só quando eles se dão conta disso as coisas explodem. Conseguem ver? Quando eles percebem que não vão conseguir, nós nos identificamos com eles.

O ponto principal dessa HQ sempre foi nos mostrar que os defeitos são o que nos tornam humanos. Páginas e páginas de conflitos, vendo os personagens se matarem por dentro pelo padrão da perfeição — sendo que apenas quando eles extravasam é que nos identificamos com eles.

Todo esse processo que o leitor passa, o Visão passa ao mesmo tempo. Ele gasta tanto tempo tentando consertar sua família, que não percebe que a mesma morre aos poucos. Só quando ele nota que não precisa ser aquilo que os outros consideram humano, ele pode descansar um pouco.

Mas claro que a obra não ia viver só em suas discussões filosóficas: estamos falando de um título do Visão. Temos muitos aspectos do sci-fi aqui, principalmente quando o androide nos explica como sua família perfeita funciona.

Tudo isso acompanhado do traço do grande Gabriel Hernandez, que traz muitas influências do terror, na escolha das cores e posições dos personagens (na segunda metade da história). Traço esse que só deixa mais assustador cada vez que algum sintozoide pira.

Visão é fenomenal, bonito, emocionante e vai fazer você questionar seus conceitos de humanidade. Com certeza vale a leitura.

Milena Matias

Estudante de jornalismo, 19 anos e com um amor enorme por video-games. Séries e cinema são os segundos amores da minha vida.

%d blogueiros gostam disto: