Opinião sobre a saga Injustiça

Um resumo sobre a saga Injustiça – Deuses Entre Nós antes de expor minha opinião.

04A história se inicia quando Lois Lane está esperando um bebê de Kal’El e ele vai até Batman e o convida para ser o padrinho da criança. Enquanto isso a futura mamãe e seu fotógrafo, Jimmy Olsen investigam um caso nas docas de Metrópolis.

De repente Coringa e Harley Quinn aparecem, Jimmy morre com um tiro na cabeça, enquanto Lois é levada pelo vilão. Super encontro vestígios do homicídio de seu amigo seguido do sequestro  de sua amada e voa rapidamente até Batman para lhe contar do ocorrido e pedir ajuda.

Após um alerta geral para a Liga da Justiça, os heróis encontram o local onde o palhaço estava. Super é o primeiro a chegar e sob o gás do medo do Espantalho acaba vendo seu maior inimigo, Apocalipse na sua frente, que o ataca ferozmente.

Ocorre que não passava de uma ilusão e na verdade Apocalipse era Lois Lane, o Escoteiro a matou. Em razão disso o Kryptoniano mata o Coringa e inicia uma ditadura para controlar o mal que ele dizia se alastrar pelo planeta Terra.

Batman e mais alguns heróis ficam contra essa ditadura passando a ser perseguidos e assim é até agora no Ano Quatro da saga.

Vamos agora ao que interessa! Ou não interessa, mas deve interessar, porque você continua lendo, né?

Começaremos preliminarmente pelos Prós da saga.

 Jheremy Raapack
Jheremy Raapack

Prós: a arte pouco variou do Ano Um ao Ano Quatro, na verdade Jheremy Raapack permanece até hoje na ilustração da revista. O que não é algo ruim, pois, particularmente, os traços da revista são ótimos.

Os efeitos, as cenas muito bem distribuídas e bem enquadradas dando ênfases em detalhes importantes; até mesmo a expressão dos personagens é muito boa. O leitor consegue sentir o drama, a adrenalina, a tensão que se passa com toda a ditadura Kryptoniana, se enfurece ou até mesmo concorda com ela.

Aliás importante destacar algo que notei na saga; ela te dá liberdade de escolher um dos lados, Superman apresenta bons argumentos para estar ao seu lado, assim como o Batman, no entanto talvez por uma experiência de ditadores que temos em nosso mundo real uma grande maioria dos leitores seja contra a ideologia pregada por Kal’El. No mais a morte de personagens icônicos reforçam a oposição à ditadura.

Os uniformes de cada herói são totalmente diferentes com o que estamos acostumados, nada de roupinha apertadinha, mas sim armaduras. Até mesmo em personagens que nunca pensaríamos que poderiam vir a usar, como o próprio Flash usaram.

O significado de Over Power foi levado ao extremo de tudo na saga. Superman a cada momento que parece que vai cair consegue misteriosamente uma reviravolta – parece até que você está vendo Dragon Ball. A criação das pílulas que dão super força colocaram o Cavaleiro das Trevas e o Kryptoniano no mesmo patamar, mas não vou falar muito disso aqui, porque esta parte está mais nos contras que no presente tópico.injustice_gods_among_us__1__colors_by_raapack-d5rmhmw

Contras: pontos negativos não são o que faltam nesta saga, infelizmente. Algo que era para ser muitíssimo bom conseguiu não vingar às expectativas.

Digo isto, haja vista que a saga é longa e por esta razão deveria possuir um roteiro melhor, lutas melhores e menos enrolação. Posso dizer que talvez o Ano Três tenha sido o pior de todos, afinal foi muita enrolação mesmo, a história não te segurava, o leitor permanecia lendo apenas para não ficar perdido para o Quarto Ano.

Constantine que deveria ter uma atuação incrível, não teve. Agiu como um babaca, egoísta e sem graça, mesmo sabendo que suas características são quase essas, mas ele estava num nível de chatice insuportável.

Como mencionei acima o fato do Homem Morcego e Superman estarem no mesmo patamar para lutar não foi algo interessante. A batalha entre ambos foi fraca, uma cotovelada na nuca de um e de outro, um soco na cara, um chute bobo e de repente, por motivos banais, eles paravam.

Mortes desnecessárias foi o principal erro da saga. Vamos citar, por exemplo a morte da Caçadora (Helena), a morte sem noção do Dick Grayson, mas que teve uma justificativa PARCIALMENTE compreensível.

Sejamos sinceros que a saga “já deu o que tinha que dar”. Prolongar ela por mais dois “anos” seria ruim, porque começa já está cansativo e poderá piorar. Claro, posso estar errado e a história melhorar, contudo no momento minha posição é esta.

Concluindo, Injustiça – Deuses Entre Nós não é uma revista ruim, porém peca em pontos que não deveria. Se você está afim de ler algo diferente e tranquilo, sem preocupação com cânon ta ai uma boa escolha.

Injustiça está no Ano Quatro e a última edição lançada é a #17.

Vale lembrar que a revista foi inspirada no jogo que leva o mesmo nome da saga, confira abaixo o trailer do game:

Christian

Curso Direito, gosto de criar o caos opinando sobre política (Imposto é roubo), sou fã de quadrinhos em especial o Flash e é isso ai

%d blogueiros gostam disto: