280 views 0 comments

O Nascimento de um Novo Herói – New Super-Man.

by on julho 15, 2016
 

A China é um dos maiores países do mundo, sua população ultrapassa o número de 1.375 Bilhões pessoas. Devido esse grande conglomerado de seres humanos em uma única região, os olhos de Hollywood se voltam para o oriente, a fim de abocanhar esse enorme público.

É cada vez mais notável a influência chinesa nos grandes meios de comunicação. O cinema talvez seja o meio mais afetado por esse “novo” mercado.

Como tudo na vida, existe um lado bom e um ruim. Hoje vemos trailers sendo feitos exclusivamente para o público Chinês. Um dos materiais promocionais mais polêmicos que tivemos foi o do filme Star Wars – O Despertar da Força. Em toda a divulgação do longa temos o personagem de John Boyega ( Finn) sendo colocado de lado. Isso ocorreu porque a China é um país muito preconceituoso, e ter um negro estampado na capa do filme não iria vende-lo.

160329_chinese_superman_a8f02106325eb9f565b0accacbe1c18e.nbcnews-fp-1200-800

Esse fato é um absurdo! Existem pessoas que pensam que Hollywood não tem que mudar o mundo. Elas dizem que, assim como qualquer empresa, seu papel principal é vender. Porém, existe algo a mais quando estamos falando de comunicação.

A comunicação é uma arte, e arte é uma expressão do que a sociedade é. Será que queremos que a nossa sociedade seja preconceituosa? Um filme, quadrinho ou qualquer arte tem o papel de mostrar, guiar e transformar as pessoas em seres PENSANTES, que agem de forma coerente.

Porém, não é sobre isso que esse texto está sendo publicado. Como o nome do texto diz, um novo herói nasceu e esse herói veio para quebrar alguns paradigmas que criamos ao longo dos anos.

Não ia demorar para que os quadrinhos fossem afetados por esse grande público Chinês. Respondendo a toda essa demanda a Dc decidiu criar um herói com os poderes do Superman nativo da china.

7hYlDoIBgoTxHDq6NnQOST

Essa missão ficou nas mãos do roteirista Gene Yang (chinês americano). O autor nos traz o protagonista Kenji Kong. O menino de 17 anos que apesar de ter os poderes de Kal-El, não tem seu caráter.

Logo nas primeiras páginas somos apresentados a um “herói” , que ainda não tem poderes, egoísta, exibido e, como se não bastasse, a sua primeira aparição mostra-o bulinando um gordinho. Ou seja, um mal caráter, que tem tudo para ser confrontado e virar um grande herói.

A Hq tem um ritmo muito dinâmico, mas que não chega a ser corrido. Ela traz esperanças para esse novo herói que nasceu em um lugar diferente do convencional. Que nós possamos ver mais disso acontecer, pois não é só em Metropolis, Gotham ou Nova York que nascem grandes Heróis.