Hqs/Livros
159Visualizações 0comentários

OPINIÃO | Menos é mais no segundo Amanhecer Esmeralda

Poron Janeiro 4, 2018
Detalhes
 
Positivos

Conflitos mais claros
Boa arte
Sinestro interessa
Contorno dramático envolvente
Bons questionamentos subliminares
Roteiro acerta

Negativos

Protagonista permanece sem profundidade

Nota do editor
 
Roteiro
85%

 
Argumento
90%

 
Personagens
80%

 
Ilustração
85%

Pontuação Total
85%

Hover To Rate
Nota dos usuários
 
Roteiro
96%

 
Argumento
92%

 
Personagens
95%

 
Ilustração
96%

Classificação dos usuários
5Classificações
95%

Você classificou isso

 

Do advento do anel de Lanterna Verde, passando pela prisão de Hal e pelo seu treinamento com ninguém menos do que Sinestro, temos uma saga dividida em duas partes. Aqui, falaremos da segunda parte da saga. Para ler sobre a primeira, clique aqui.

 


 

O contexto

CLIQUE AQUI PARA AUMENTAR

Após a Crise, a realidade mais clara é que havia muito sentimento de falta dos Lanternas no Fandom; e isso ao mesmo tempo em que era necessário recontar a história de origem do possuidor do anel mais interessante da editora das lendas.

Jim Owsley, ou Christopher Priest se preferir (exatamente, o mesmo que tantos anos depois escreveria Exterminador na fase do Renascimento DC), foi o responsável por escrever roteiro e diálogos do primeiro dos seis títulos; os demais ele entregaria para Keith Giffen, o co-criador do Lobo que também escreveria Liga da Justiça mais tarde. Os diálogos daí em diante também seriam demandados a outro profissional: Gerard Jones, que já trabalhou em vários títulos não só na DC, mas na Marvel, na Dark Horse, e já ganhou um Eisner (o Oscar dos quadrinhos) por seu livro Homens do Amanhã: Geeks, Gângsteres e o Nascimento dos Gibis.

Foi assim que nasceu a ideia para a criação de Lanterna Verde: Amanhecer Esmeralda (Emerald Dawn, no original). Era necessário atualizar os fãs quanto à origem e lapidação do mais famoso dos Lanternas — Hal Jordan, o piloto da Ferris Aeronáutica do qual dez em cada cinco fãs já ouviram falar.

O Amanhecer Esmeralda tem duas partes. A primeira já foi avaliada pelo nosso site e você pode ler o texto clicando aqui.

 

Os acontecimentos

ATENÇÃO! O texto a seguir contém spoilers. Recomendamos fortemente a leitura particular da obra, para que você tire suas próprias conclusões. (adaptado de DC Database)

  • Hal Jordan vai à corte para tomar a responsabilidade pelo acidente que causou, dirigindo por influência do álcool. Infelizmente, o juiz faz dele um exemplo e sentencia Hal a noventa dias numa instituição de segurança máxima.
  • Depois de uma última visita de Carol Ferris, Hal é arrastado para fora de um camburão. No entanto, quando ouve falar de um crime no rádio da polícia, Hal ativa o anel de Lanterna Verde, deixando uma projeção de si mesmo e então agindo como herói, esperando retornar antes de alguém notar que ele sumiu.
  • Como Lanterna Verde, Hal detém um assalto numa instituição financeira. Ele vai bem até que um dos ladrões o acerta com algo amarelo, lembrando ele de sua fraqueza. Por fim ele acaba os subjugando e chamando a polícia pelo alarme do banco.
  • Hal então chega à cadeia, onde quase perde o anel na revista de entrada. Na cela, ele lida com um parceiro de confinamento, que o ameaça; o discurso é interrompido quando ele é esfaqueado, e é claro, Hal fica sendo o principal suspeito. Eventualmente ele seria visitado pelo seu assistente social, ninguém menos do que Guy Gardner.
  • Em Oa, Sinestro acaba sendo o escolhido para o treinamento de Hal em função da situação atual, que tinha por exemplo a ocupação de Kilowog (o melhor instrutor); ele é o responsável pelo setor 1417, que recebe inclusive ordens supérfluas — como o festejo quando ele próprio, Sinestro, visita a localidade de Korugar. Ele acaba aceitando como uma oportunidade de disseminar sua filosofia, e surpreende um pensativo Hal Jordan na cadeia.
  • Após as devidas apresentações, Sinestro deixa uma réplica do corpo de Hal para que possam sair da prisão sem serem detectados. Eles vão ao setor 131, onde os Khúndios, os Domínions e a Cidadela planejam criar uma aliança que os daria controle interessante da galáxia. Sinestro, tentando demonstração sua própria visão de diplomacia, se mostra cético.
  • Os líderes reagem violentamente, o que faz Hal se meter na confusão e submeter todos ao seu anel, os lançando aos céus para terem uma lição. Nesse meio tempo, Sinestro é posto em xeque-mate por um dos alienígenas, armado; Sinestro tenta se desfazer da situação pelo medo, dizendo que se dois Lanternas fazem tudo aquilo, que dirá toda a Tropa.
  • Enquanto isso, Willie, um ladrão educado, foi transferido à mesma prisão e cela de Hal porque havia tentado fugir daquela de segurança mínima. Eventualmente, Willie percebe que o corpo de Hal é ilusório e fica chocado ao cair no chão. Sinestro volta à Oa pedindo para sair da posição de treinador de Hal; este último volta à cela e encontra Willie assustado.
  • Hal acaba contando tudo sobre ele e o anel para Willie, que acabou vendo tudo, indo dormir em seguida — Willie ficou olhando para o anel e em dúvida sobre se o roubaria. A cena é cortada pelo alarme da prisão, que toca e deixa Hal disperso, enquanto Willie disfarçava.
  • Jordan descobre que Willie é mais famoso do que ele imaginava com os demais presos, mais tarde, e fica sabendo de que ele é um ladrão. Este último acaba numa confusão com outro preso, e Hal intercede a favor de Willie, mas o seu uso de uma certa frase alerta o agressor ao fato de que eles já se encontraram antes: Hal o prendeu há alguns dias como Lanterna Verde. Guy Gardner chega na cena e não deixa Hal ser punido, e apesar de não curtir Willie e sua amizade com Hal, ele também se oferece para defendê-lo.
  • Mais tarde, Sinestro voltaria para buscar Hal e continuar o treinamento; ao ver Willie, decide que deve tomar suas memórias, mas Hal o convence de deixar seu amigo em paz.
  • Em outro dia, Willie percebe numa conversa entre presos que um deles sabe que Hal é um Lanterna Verde, e atesta um plano de roubar o anel e fugir da prisão. Infelizmente Willie é descoberto e, a despeito do pedido de Willie, ele é esfaqueado. Hal quer ir ver o amigo, mas Sinestro força-o a ir a Korugar com ele, que pode estar em perigo. Ao chegar lá, Hal é surpreendido ao saber que os cidadãos idolatram Sinestro, e para completar, logo depois eles também são alvos de tiro dos Korugarianos.
  • Katma Tui lidera uma revolução para libertar seu povo dos Lanternas Verdes, com ajuda dos Khúndios, o que irrita Sinestro e o leva a achar que estão sob controle mental de outrem. Mas a realidade é que eles se sentiam oprimidos. Hal imobiliza Sinestro e pede reforços à Tropa dos Lanternas Verdes. Furioso, Sinestro ataca Hal, que no contra-ataque acaba derrotando seu próprio professor, mas eventualmente Hal é convencido a fugir com ele antes que a Tropa chegue.
  • Guy tenta obter informações de Willie quanto aos seus agressores, mas o ladrão acaba hesitando e desejando internamente ver Hal o quanto antes para falar dos planos dos demais presos de roubo do anel e fuga. Em Korugar, Katma Tui vê os Lanternas fugindo e começa a comemorar com os habitantes, mas a festa é interrompida pela Tropa dos Lanternas Verdes, que chega e é recebida a tiros. Ao notarem que Katma é a líder e conversarem com ela, além de observarem as flâmulas no ambiente, começam a concluir que Sinestro pode ter excedido sua autoridade no setor 1417.
  • Hal e Sinestro debatem sobre o motivo do motim em Korugar, mas Hal se dá conta de que está fora da cadeia há dois dias e que poderia ser ainda mais punido. Sinestro constata que a prisão pode ser um bom lugar para se esconder e ambos voltam à Terra. Na prisão, Clendon e Homey, dois presos parceiros de cela, roubam uma arma de um guarda e fogem liberando os internos em todo o seu bloco. Clendon, no entanto, tem fixação pelo anel e força os comparsas a buscarem-no.
  • Quando Clendon e seus homens encontra a cela de Hal vazia, eles vão à enfermaria, onde Willie está conversando com Guy Gardner. Guy supõe que Hal escapou, mas Willie (que sabia do segredo de Hal) não está convencido, apesar de não saber onde ele está. Quando Clendon escuta isso, ele muda de planos e toma Gardner como refém. Hal e Sinestro voltam à prisão; na enfermaria, ambos tomam aparências humanas, com Sinestro obtendo a aparência de Willie. Hal reclama e, para resolver a situação, Sinestro transporta Willie para fora da prisão, o que o faz reclamar mais ainda.
  • Ao verem Hal e Willie pelos monitores, Clendon e seu bando libertam os prisioneiros e iniciam um motim; em meio ao caos, Hal e Sinestro se encontram com este bando. Para salvar Gardner, Hal é forçado a entregar o anel a Clendon, que o atinge violentamente. Quando se vira para Willie, Sinestro o surpreende voltando à sua forma e retira facilmente o anel da mão de Clendon, e o vestindo em Hal novamente. Ao virarem para Clendon, Guy tem uma arma apontada na direção do prisioneiro. O assistente social perde a cabeça, tem o temperamento explosivo que todos já conhecemos por alguns segundos e ataca brutalmente Clendon de mãos nuas, até ser imobilizado por Hal (que o faz à contragosto de Sinestro). Sinestro limpa a mente de Clendon e tenta limpar a de Guy; Hal protesta e enquanto eles discutem, os Punhos dos Guardiões (uma tropa de robôs vestidos como Lanternas, uma espécie de grupamento especial) chegam para levar ambos os Lanternas presos.
  • Os Punhos dos Guardiões cercam Jordan e Sinestro em meio ao motim e levam os dois. Hal segue a ordem, enquanto Sinestro resiste e foge, sendo dominado quando o jogam num Elevador de Grãos de Milho, cuja cor amarela anula seu poder.
  • Jordan corrige o motim na prisão sozinho e coloca os presos em suas respectivas celas (inclusive a si mesmo), antes que possa ser reconhecido. Enquanto pensa no tempo em que ficou ausente, é instantaneamente teletransportado para Oa. Lá, Hal é apresentado como testemunha. Hal admite que foi treinado em relação à ordem e que não sabe do nível de submissão que os residentes dos setores cuidados por eles devem ter para com os Lanternas Verdes. Tomar-Re acaba sugerindo que Sinestro abusou do poder ao cuidar de Korugar.
  • A hipótese é verificada quando ele chama Katma Tui para depor: ela confirma e seu testemunho tem grande efeito sobre os Guardiões do Universo, que julgam facilmente Sinestro como culpado. Ele é banido, então, para o Universo de Antimatéria de Qward, e se despede prometendo vingança à Tropa e aos Guardiões.
  • Tomar-Re sugere a própria Katma Tui como substituta na função de Lanterna Verde do setor 1417, o que não a deixa contente sobre isso (nem a Kilowog). Hal volta à prisão, completa o restante e, quando seus noventa dias de confinamento são atingidos, Guy Gardner o acompanha para fora da prisão — onde ele é recebido por amigos e levado para casa.

A avaliação

Talvez o elemento definidor do conflito tenha sido o grande problema do Amanhecer Esmeralda original. Provavelmente cientes do fato, os autores depositaram na personalidade corrompida de Sinestro e em menos focos de acontecimentos relevantes para a história a aposta de que o conto valeria a pena.

E valeu. Hal Jordan é um personagem interessante e tem seu carisma perante os fãs, mas não foi capaz de estabelecer drama suficiente — aliás, nem aqui e nem na parte anterior da minissaga. As cenas da prisão questionam corretamente a culpabilidade das pessoas enquanto a interação entre personagens é privilegiada; Korugar é um local submisso a seu líder até a bela Katma Tui se incumbir de incorporar a resistência contra Sinestro; após toda a confusão causada na prisão, temos inclusive um julgamento, com apresentação de argumento e contestações gerais. Eis o contorno dramático necessário para prender o leitor que faltou tanto na primeira iteração. E a coisa é tão claramente resolvida que inclusive graficamente a história se sustenta de forma melhor.

A personalidade de Sinestro e seu viés maníaco por ordem e controle trazem à história uma profundidade poucas vezes explorada neste início de pós-Crise. Até que ponto um ser pretensioso na liderança pode trazer ordem? E qual o custo para as sociedades, para a liberdade e para a paz? Existem vários aspectos subliminares que os autores não tiveram vergonha de explorar. Em outros casos, a megalomania dá resultados; aqui a moderação favorece fortemente.

Amanhecer Esmeralda II veio provar que menos é mais, e o conseguiu até mesmo com uma rapidez que surpreende.