Hqs/Livros
217Visualizações 0comentários

OPINIÃO | “Cavaleiro da Lua”: deixe sua insanidade guiá-lo

Poron julho 13, 2017
Detalhes
 
Positivos

Roteiro envolvente e instigante
Personagens interessantes
Arte psicodélica que contribui para a narrativa

Nota do editor
 
Roteiro
95%

 
Argumento
95%

 
Personagens
100%

 
Ilustração
100%

Pontuação Total
97%

Hover To Rate
Nota dos usuários
 
Roteiro
100%

 
Argumento
100%

 
Personagens
72%

 
Ilustração

Classificação dos usuários
2Classificações
91%

Você classificou isso

 

A história, escrita por Jeff Lemire e desenhada por Greg Smallwood, nos afunda na mente conturbada de Marc Spector, O Cavaleiro da Lua; alguém que se encontra em um sanatório que utiliza métodos arcaicos e de funcionários sádicos para tratar seus pacientes. A vida heroica de Marc é colocada em cheque quando é revelado que seu passado não passava de delírio, e como Marc é constantemente drogado, ele mesmo começa a duvidar de sua sanidade — ou, de se isso tudo não passa de mais um plano maligno de seus inimigos.

O roteiro de Lemire é muito fluido, não nos deixa cansado mesmo com a complexidade da história; pelo contrário, nos deixa com mais vontade de ler. Até mesmo quando chegamos no final do encadernado, ele faz com que o leitor fique com a pulga atrás da orelha e ansioso para o próximo volume. O mais interessante é a forma como Marc lida com seu alter ego. No momento em que Spector está trajado de Cavaleiro da Lua, ele é capaz de enfrentar os enfermeiros e seguranças do hospício; mas por conta disso, em contrapartida, existe a possibilidade de ele estar se entregando ainda mais a loucura. Ao ler, a sensação de dúvida sobre realidade e loucura é extremamente normal.

A arte de Greg Smallwood é um show à parte. O artista se utiliza bastante da psicodelia em seu traço, como por exemplo em não desenhar os quadros de forma linear como nos quadrinhos convencionais — dando um ar de afunilamento e desordem, exatamente como a mente de Marc se encontra. Com esse tipo de narrativa gráfica, imagina-se algo confuso de se entender, mas os olhos do leitor sabem exatamente por onde começa e termina cada página. O desenhista se revela muito habilidoso ao utilizar os espaços em branco da página para compor imagens, como por exemplo dando formas aos uniformes dos funcionários e do próprio Cavaleiro da Lua. O trabalho de Greg merece um artigo à parte, pois a riqueza de detalhes e expressões faciais é incrível.

Com um ótimo roteiro e arte impecável, o título do Cavaleiro da Lua, da fase All-New All-Different Marvel se concretiza como uma das melhores fases do personagem e entra para uma das melhores já feitas pela editora.