DEUSES AMERICANOS | Opinião 01×04

                              Pay Atention! Spoiler arread!

 

O episódio conta a história de Shadow Moon e Laura Moon, do momento em que se conheceram, até se reencontrarem no motel, na cena final do terceiro episódio.

Laura trabalhava em um cassino, e conhece Shadow Moon quando ele tenta aplicar um golpe para roubar o lugar, o ajudando a se safar. Depois disso, se encontram no estacionamento deste cassino, e Shadow tenta convence-la a entrar em seu mundo de crimes e ser “a pessoa de dentro”, e roubar o cassino junto dele.

Vamos falar sobre Laura: Até então ela servia apenas como uma motivação para Shadow, um mecanismo para desenvolver o personagem, porém com este episódio conhecemos quem de fato é a personagem. Uma mulher triste e transtornada, que busca uma emoção na vida, e acaba se envolvendo com Shadow Moon após os acontecimentos de seu primeiro encontro, talvez não porque se sentiu atraída por ele, mas sim porque viu nele a saída de uma monotonia corrosiva que estava tirando dela a vontade de viver. Uma personagem depressiva e angustiada, que toma decisões radicais e muitas vezes impensadas, porque luta contra a sua própria rotina. Um retrato de muitas pessoas em nossa sociedade, que vivem presos a uma rotina maçante, em trabalhos que não gostam, porque a pressão social e a necessidade de ter algo que gere o mínimo de renda que nos permita sobreviver é maior do que o radicalismo de tentar fazer o que realmente gostam.

Shadow convence Laura a leva-lo para sua casa após o seu encontro no cassino, e eles vão para a cama. Um pouco a frente, Laura e Shadow conversam, e a conversa sobrepõe a cena do casamento deles. Laura diz que não há nada para acreditar, mostrando seu ceticismo, que logo a frente, será totalmente desafiado.

Logo em seguida entra uma montagem com uma música por cima (Queen of the Bored, de Brian Reitzell), mostrando a nova rotina de Laura, agora com o nome de Laura Moon, onde vemos que mesmo casada com um homem que a ama, ela não se sente feliz, não vê sua vida mudada, e sim apenas que quando chegar em casa não estará sozinha. Ela lembra Shadow sobre o momento em que ele comentou sobre seus planos de roubar o cassino, e diz ter o plano perfeito, o que o convence a cometer o crime.

Mas como vemos no primeiro episódio, o plano não deu certo, e Shadow Moon foi preso. Shadow faz Laura prometer que iria espera-lo sair da cadeia, e ela faz a promessa. Em seguida, mostra sua mais nova rotina: Atender ligações da penitenciaria e fazer visitas ao Shadow.

Então é mostrado o início de um caso entre Laura e Rob, o melhor amigo de Shadow, após a morte de seu gato. Muitos irão apenas dizer que a personagem é uma vadia desleal sem sequer analisar a psique e a construção da personagem, o que é errado. De fato, o que ela fez é errado, muito errado, mas ao destrincharmos a personagem, vemos que o sentimento que ela tinha no início do episódio, antes de conhecer Shadow, nunca mudou. Ela ainda procurava uma emoção na vida, e embora aparentemente gostar muito de Shadow, ela não consegue encontrar esta emoção, o que a faz fazer coisas ruins, até para si mesma.

É mostrado logo em seguida o momento da morte de Laura, e seu contato com a entidade Morte (que aparece no início do segundo episódio). É aqui que todo ceticismo da personagem se quebra, e ela vê que o mundo é mais do que ela pensava ser. No limbo, Laura discute com a Morte sobre seu destino, dizendo que quer voltar a vida. Estranhamente, Laura é sugada de volta para a terra, e revive. Laura vê um estranho brilho dourado vindo de longe, e ao segui-lo se depara com o acontecimento da cena final do primeiro episódio, com Shadow Moon enforcado em uma árvore e os espancadores do Tecnichal Boy ao seu redor. Laura inexplicavelmente mata todos eles com suas próprias mãos e salva Shadow, mostrando que ganhou uma incrível super-força.

Logo depois, Laura retorna a sua casa, onde encontra com sua amiga Aldry, noiva de Rob. Neste momento acontece algo que eu particularmente não gostei muito, que é a tentativa de acrescentar um certo humor ao episódio. Não que eu não goste de humor, é claro que gosto, mas da forma que colocaram nesta cena ficou muito contrastante com o tom de todo o resto do episódio. Pode ser apenas coisa minha (afinal, sou meio chato), mas me incomodou um pouco.

Após isso, Aldry e Laura partem de carro ao encontro de Shadow, e no caminho, se encontram com a entidade Morte, que está acompanhada de um cachorro e de um amigo.

Morte as leva para uma espécie de oficina, onde repara Laura, e diz a ela que para conter a decomposição de seu corpo, ela devia visitar a oficina sempre.

Laura vai ao encontro de Shadow, e então o episódio acaba no ponto onde o terceiro episódio parou.

 

Muitos acabaram criticando bastante o ritmo da série, dizendo ser muito parada, que a história não anda. Porém o que precisamos entender é que American Gods não tem pressa de contar sua história. Alguns gostam, alguns acham um saco, eu sou do time que curte, gosto quando a série conta sua história de uma forma mais detalhada, contemplativa, sem muita exposição e pressa. Porém, tenho que admitir que este episódio, por mais que seja bom, foi parado até demais, assim como o piloto. Agora nos resta esperar pelo próximo, onde acredito que a história irá andar, e mostrará a reação de Shadow ao reencontrar Laura.

DEUSES AMERICANOS | Opinião 01×04

                                Pay Atention! Spoiler arread!

 

O episódio conta a história de Shadow Moon e Laura Moon, do momento em que se conheceram, até se reencontrarem no motel, na cena final do terceiro episódio.

Laura trabalhava em um cassino, e conhece Shadow Moon quando ele tenta aplicar um golpe para roubar o lugar, o ajudando a se safar. Depois disso, se encontram no estacionamento deste cassino, e Shadow tenta convence-la a entrar em seu mundo de crimes e ser “a pessoa de dentro”, e roubar o cassino junto dele.

Vamos falar sobre Laura: Até então ela servia apenas como uma motivação para Shadow, um mecanismo para desenvolver o personagem, porém com este episódio conhecemos quem de fato é a personagem. Uma mulher triste e transtornada, que busca uma emoção na vida, e acaba se envolvendo com Shadow Moon após os acontecimentos de seu primeiro encontro, talvez não porque se sentiu atraída por ele, mas sim porque viu nele a saída de uma monotonia corrosiva que estava tirando dela a vontade de viver. Uma personagem depressiva e angustiada, que toma decisões radicais e muitas vezes impensadas, porque luta contra a sua própria rotina. Um retrato de muitas pessoas em nossa sociedade, que vivem presos a uma rotina maçante, em trabalhos que não gostam, porque a pressão social e a necessidade de ter algo que gere o mínimo de renda que nos permita sobreviver é maior do que o radicalismo de tentar fazer o que realmente gostam.

Shadow convence Laura a leva-lo para sua casa após o seu encontro no cassino, e eles vão para a cama. Um pouco a frente, Laura e Shadow conversam, e a conversa sobrepõe a cena do casamento deles. Laura diz que não há nada para acreditar, mostrando seu ceticismo, que logo a frente, será totalmente desafiado.

Logo em seguida entra uma montagem com uma música por cima (Queen of the Bored, de Brian Reitzell), mostrando a nova rotina de Laura, agora com o nome de Laura Moon, onde vemos que mesmo casada com um homem que a ama, ela não se sente feliz, não vê sua vida mudada, e sim apenas que quando chegar em casa não estará sozinha. Ela lembra Shadow sobre o momento em que ele comentou sobre seus planos de roubar o cassino, e diz ter o plano perfeito, o que o convence a cometer o crime.

Mas como vemos no primeiro episódio, o plano não deu certo, e Shadow Moon foi preso. Shadow faz Laura prometer que iria espera-lo sair da cadeia, e ela faz a promessa. Em seguida, mostra sua mais nova rotina: Atender ligações da penitenciaria e fazer visitas ao Shadow.

Então é mostrado o início de um caso entre Laura e Rob, o melhor amigo de Shadow, após a morte de seu gato. Muitos irão apenas dizer que a personagem é uma vadia desleal sem sequer analisar a psique e a construção da personagem, o que é errado. De fato, o que ela fez é errado, muito errado, mas ao destrincharmos a personagem, vemos que o sentimento que ela tinha no início do episódio, antes de conhecer Shadow, nunca mudou. Ela ainda procurava uma emoção na vida, e embora aparentemente gostar muito de Shadow, ela não consegue encontrar esta emoção, o que a faz fazer coisas ruins, até para si mesma.

É mostrado logo em seguida o momento da morte de Laura, e seu contato com a entidade Morte (que aparece no início do segundo episódio). É aqui que todo ceticismo da personagem se quebra, e ela vê que o mundo é mais do que ela pensava ser. No limbo, Laura discute com a Morte sobre seu destino, dizendo que quer voltar a vida. Estranhamente, Laura é sugada de volta para a terra, e revive. Laura vê um estranho brilho dourado vindo de longe, e ao segui-lo se depara com o acontecimento da cena final do primeiro episódio, com Shadow Moon enforcado em uma árvore e os espancadores do Tecnichal Boy ao seu redor. Laura inexplicavelmente mata todos eles com suas próprias mãos e salva Shadow, mostrando que ganhou uma incrível super-força.

Logo depois, Laura retorna a sua casa, onde encontra com sua amiga Aldry, noiva de Rob. Neste momento acontece algo que eu particularmente não gostei muito, que é a tentativa de acrescentar um certo humor ao episódio. Não que eu não goste de humor, é claro que gosto, mas da forma que colocaram nesta cena ficou muito contrastante com o tom de todo o resto do episódio. Pode ser apenas coisa minha (afinal, sou meio chato), mas me incomodou um pouco.

Após isso, Aldry e Laura partem de carro ao encontro de Shadow, e no caminho, se encontram com a entidade Morte, que está acompanhada de um cachorro e de um amigo.

Morte as leva para uma espécie de oficina, onde repara Laura, e diz a ela que para conter a decomposição de seu corpo, ela devia visitar a oficina sempre.

Laura vai ao encontro de Shadow, e então o episódio acaba no ponto onde o terceiro episódio parou.

 

Muitos acabaram criticando bastante o ritmo da série, dizendo ser muito parada, que a história não anda. Porém o que precisamos entender é que American Gods não tem pressa de contar sua história. Alguns gostam, alguns acham um saco, eu sou do time que curte, gosto quando a série conta sua história de uma forma mais detalhada, contemplativa, sem muita exposição e pressa. Porém, tenho que admitir que este episódio, por mais que seja bom, foi parado até demais, assim como o piloto. Agora nos resta esperar pelo próximo, onde acredito que a história irá andar, e mostrará a reação de Shadow ao reencontrar Laura.

%d blogueiros gostam disto: