OPINIÃO | Em Odisseia Cósmica, máscaras caem e chocam

0

Na coluna de hoje, você começará a perceber o porquê de certas ameaças na DC Comics serem tão temidas. A complexidade de certos personagens e a extensão de alguns eventos será demarcada numa saga tão curta quanto espetacular, que mesmo em poucas páginas diz a que veio. Jack Kirby vive! E o Lanterna Verde John Stewart não é quem parece ser….


1 – O CONTEXTO
CLIQUE PARA AUMENTAR

A Odisseia Cósmica é uma saga da DC Comics de 1988, que contava com Jim Starlin na autoria (o mesmo de Morte em Família, lembra?), a arte de Mike Mignola (o criador de Hellboy), e Lettering de John Workman. Ela se dividiu em quatro publicações e não tem um grande pré-requisito para leitura, o que significa que qualquer pessoa com conhecimento mínimo sobre a mitologia da editora pode lê-la sem problemas. A saga se baseia em conceitos estelares da DC, principalmente aqueles estabelecidos com os chamados Novos Deuses (New Gods) e seu Quarto Mundo.

E quem são os Novos Deuses, afinal?

Criação do legendário Jack Kirby, a legião de Novos Deuses da DC Comics compreende os habitantes dos planetas Apokolips (um local terrível, seco e explosivo, onde existe desigualdade e pessoas são torturadas, liderado por Darkseid) e Nova Gênese (o oposto de Apokolips: coberto por florestas e vida, é um planeta regido pelo Pai Celestial, um líder bondoso, sábio e imortal que zela pela paz entre os povos), numa região denominada o Quarto Mundo. A história dos Novos Deuses está vinculada à queda dos Velhos Deuses, assim como os planetas citados.

Afinal… do que se trata a Odisseia Cósmica?

A Odisseia é uma história em que vemos Darkseid enfrentar uma ameaça tão maior que fica justificada, inclusive, uma aliança com seus inimigos: tanto os arquirrivais de Nova Gênese quanto os heróis do nosso universo. O que fazer quando o grande rival é a própria Equação Antivida, item que Darkseid tanto procura e deseja controlar? Como agir diante de seres que se hoje são aliados, outrora eram adversários óbvios? É o que veremos a seguir.

2 – OS ACONTECIMENTOS

ATENÇÃO! O texto a seguir contém spoilers. Recomendamos fortemente a leitura particular da obra, para que você tire suas próprias conclusões.

Seguem então os principais acontecimentos da saga. A Odisseia é dividida em quatro partes: Descoberta, Desastre, Decisões e Desfecho.

  • Em Descoberta, após capturar Metron (também um dos Novos Deuses), Darkseid descobre um adversário que não pode vencer sozinho. Por isso, vai ao Pai Celestial, que pede a ajuda dos heróis Superman, Caçador de Marte (ou Ajax), Estelar (a mesma dos Jovens Titãs), o Lanterna Verde John Stewart, e até Jason Blood, além de Magtron (dos Novos Deuses) e Órion (filho de Darkseid). É formada assim uma nova aliança, comprometendo Nova Gênese e Apokolips. O Pai Celestial explica sobre a origem do inimigo, a Equação Antivida (que por sinal está viva, fato descoberto pelo Caçador de Marte), Nova Gênese e Apokolips. Quatro espectros da Equação Antivida estão no universo: um na Terra, um em Rann (planeta vinculado a Adam Strange), um em Thanagar (lar de Gavião Negro e Mulher-Gavião) e outro em Xanshi (local dos acontecimentos mais chocantes desta saga); se os espectros destruírem dois desses locais, a galáxia será destruída. Mais tarde, Blood é informado por Darkseid que este possui Etrigan aprisionado. As equipes são divididas conforme a imagem abaixo. Em cima consta o destino, enquanto embaixo informamos quais os personagens):
As equipes de Darkseid. CLIQUE PARA AUMENTAR.

 

  • Em Desastre, as equipes chegam em seus locais: Superman e Órion enfrentam guerreiros tomados pelo espectro em Thanagar, enquanto o Caçador de Marte e o Lanterna Verde descobrem um vírus letal em Xanshi – obviamente, obra do espectro que lá estava – e também que o planeta está inteiramente controlado pela Antivida. O Lanterna consegue sintetizar uma cura através dos experimentos de cientistas do local, mas tem o apreendedor de Antivida (uma arma desenvolvida por Darkseid) destruído. É aí que Stewart se torna soberbo: ele cria um apreendedor com o próprio anel, e logo depois o Lanterna ainda envolve o Caçador de Marte numa bolha protetora, dizendo que consegue cuidar da missão sozinho (sob todo tipo de protesto de J’onzz). Ao chegar no local onde estaria o espectro, verifica que há uma Bomba do Juízo Final, que tem potencial de destruir o planeta inteiro… na cor amarela, o que tornaria qualquer ação de seu anel inútil. John fica estatelado e confuso, enquanto o planeta então explode e destrói tudo e todos – embora ele e o Caçador não sejam atingidos pelo mesmo motivo. O Caçador de Marte diz que jamais perdoará John. Na Terra, Batman e Forrageador chegam, enquanto Batman pede para uma certa pessoa desconhecida observar de perto as ações de Darkseid. Em Nova Gênese, Darkseid e o Pai Celestial convencem Jason Blood de que ele deve se tornar um só com Etrigan novamente, para dar segurança à barreira entre a nossa dimensão e a da equação. Jason aceita relutantemente. Darkseid sorri, enquanto Batman na Terra acredita que o espectro usará a rede de computadores para destruir o planeta. Em Rann, Magtron e Estelar descobrem que a população quer tirar sua própria vida; eles se encontram com Adam Strange, que se junta à equipe. Alfred cria outro uniforme para o Forrageador, e Strange é nocauteado em Rann.

 

  • John Stewart, o lanterna dos desenhos da TV, foi o responsável pela morte de um planeta inteiro. CLIQUE PARA AUMENTAR.

    Em Decisões, Magtron e Estelar cuidam de Adam Strange, ferido, quando Estelar descobre que o espectro reside numa espécie de lodo protoplásmico, no chão. Magtron é atacado pela substância; Estelar deixa os dois homens em segurança, e enfrenta o espectro; em dado momento, finge estar dominada, mas de repente salta, busca Magtron e foge do local: a combustão de seu voo fez a substância pegar fogo, o que explodiu a bomba antes que ela se armasse. Em Thanagar, Órion avança sobre os Thanagarianos para mantê-los ocupados, enquanto Superman cava e chega a um robô que o espectro usa como hospedeiro. Após derrota-lo, Superman volta ao espaço, esperando encontrar muitos Thanagarianos em ofensiva. Ao chegar, encontra inúmeros mortos, enquanto Órion se justifica pela necessidade de Superman enfrentar o inimigo sem distrações. Superman argumenta que eram vítimas, e não vilões, e Órion responde que não existem vítimas inocentes na guerra, mas apenas sobreviventes e mortos. Superman o atinge e tira dele a sua aparelhagem. Órion retorna a Nova Gênese, enquanto Superman fica para enterrar os inúmeros mortos. Na Terra, Forrageador e Batman chegam a Moosejaw; enquanto o primeiro acredita que o espectro usará o corpo de um policial recentemente morto, o segundo acha que ele usará o corpo de um Parademônio. Em Nova Gênese, Darkseid diz acreditar ser a hora de uma ofensiva, o que deixa o Pai Celestial pensativo. Sorridente, o imperador de Apokolips na verdade deseja controlar a Equação Antivida, e não a destruir. Enquanto o Pai Celestial pensa sobre o plano, uma pessoa desconhecida aparece e responde verbalmente a um de seus pensamentos. Ele diz saber como vencer a batalha contra a Equação… bastaria Darkseid fazer o que pretendia. Enquanto John Stewart, Caçador de Marte e Órion retornam de Nova Gênese, Etrigan relutantemente opta por ajudar Darkseid, que prontamente insere nele um dispositivo que torna ambos – Darkseid e Etrigan – um só e ambos partem para a dimensão onde se encontra a Equação. Ao perceber o que Darkseid e Etrigan fizeram, o Pai Celestial é contatado pela pessoa desconhecida mais uma vez, e ela diz que ainda é possível vencer… bastariam segui-la em seus planos.

 

  • Em Desfecho, Batman e Forrageador esmagam o Parademônio com equipamento pesado. Joe Bester ataca a ambos, mas é decepado por Forrageador e aí se percebe que ele é um robô. O espectro/Parademônio se levanta e começa a espancar Batman e inutiliza-lo fisicamente para a batalha. O Forrageador, que havia sido deixado inconsciente, ataca o espectro/Parademônio e usa seu escudo para destruir a bomba que se armaria em alguns segundos, morrendo na explosão. Darkseid e Etrigan começam a perceber a desvantagem em enfrentar a Equação e ficam prestes a serem derrotados e mortos, quando são salvos pelo ser contatado por Batman no primeiro arco da história: o Senhor Destino. Ele tinha a companhia do Pai Celestial e de Órion também, e juntando estes a Darkseid e Etrigan, o Sr. Destino formava com o quarteto um Pentagrama Cósmico; com a nova característica de poder concentrado, ele enfrenta a Equação. Ao perceber que não poderia vencer a Equação, Destino tem um plano: estando a Equação enfraquecida o suficiente, eles poderiam fugir do local e criar uma barreira mística, a qual destruiria a dimensão que serve como elo entre a própria Equação e a realidade da Terra. É aí que ocorre uma explosão gigante, e todo o quinteto retorna à Nova Gênese, enquanto a Equação não poderia persegui-los. Darkseid, liberado do controle de Destino, fica furioso por ter sido controlado e ameaça atacar a todos, mas Superman diz a ele que ele teria de derrotar todos. Darkseid se desculpa e deixa o local. John Stewart tenta lidar com a falha tentando se matar e se livrar do anel, mas não o faz. O Caçador de Marte surge e o provoca, conseguindo a atenção do Lanterna, que reage xingando-o e satisfaz o Caçador. Depois disso, Superman e Magtron aparecem carregando Batman – muito ferido – e o corpo de Forrageador. Órion é preconceituoso com os restos de Forrageador e se refere a ele como um inseto; Batman perde o controle e o agride, gritando que o nome dele era Forrageador. Órion sai e os heróis descobrem que Darkseid sumiu e as armas que continham porções capturadas de Antivida sumiram com ele, que portanto sempre esteve um passo à frente e agora tem a Antivida em mãos. Em Apokolips, Darkseid mostra a seu servo Desaad um punhado de Antivida e, em Nova Gênese, o Pai Celestial instrui Órion a acompanhar o corpo de Forrageador ao Império dos Insetos, porque a jornada poderia ensinar a ele um pouco sobre tolerância.

 

3 – A AVALIAÇÃO

É claro que, no momento em que o leitor fica sabendo de uma aliança entre heróis e Darkseid, ele precisa ficar completamente desconfiado deste último. Darkseid é sinônimo de tirania, força bruta, poder absoluto e estratégia. Trata-se de um personagem que sempre está um passo à frente e tem potencial de destruição inimaginável. Dar fim aos adversários e tomar todos os mundos possíveis se utilizando da Equação Antivida é o que ele tem de objetivo, e por isso mesmo ele consegue tomar ações bastante ousadas e bem pensadas, tornando-se um vilão absolutamente diferenciado. Não é à toa que tantos decenautas aguardam ansiosamente para ver o que acontecerá no DCEU, o recente universo cinematográfico da DC para os cinemas, que incluirá certamente uma batalha de proporções absurdas contra o imperador de Apokolips. A Odisseia vem mostrar parte do background quadrinhesco deste personagem, além de reapresentar os Novos Deuses e a conformação Nova Gênese-Apokolips para novos leitores no nosso já conhecido contexto pós-Crise; além disso, traz uma dinâmica muito boa entre os personagens, no contexto da guerra entre os planetas, e mostra a gravidade que pequenas ações podem ter numa visão mais ampla.

Mas a cereja do bolo ainda vem aí: A grande sacada da série é tornar uma ameaça tão grande e de proporções galácticas influente até mesmo na individualidade – isto é, na forma de agir de personagens cuja personalidade já está bem estabelecida. É genial ver Batman perdendo as estribeiras diante de uma situação de provocação e consternação pela morte de um aliado. Logo ele, Bruce Wayne, o mesmo que tem, entre tantas características, treinamento extenso e sangue frio invejável, comparável ao de Serial Killers. Da mesma forma, ver com nossos próprios olhos a desconstrução de John Stewart ao cometer um erro absolutamente imperdoável, um herói reconhecido que passa a ser guiado pela soberba e causa a morte de milhões… É inacreditável. Simplesmente inacreditável.

Graves acontecimentos numa saga interessante

O senso de gravidade nas páginas é bastante claro; a situação parece tensa o suficiente, mesmo com o número reduzido de atores (em comparação com grandes sagas, como a própria Crise). Entre todos os pontos abordados, tivemos a culpa (situação do Lanterna Verde John, depois dos acontecimentos de Xanshi), o remorso (Superman, ao ver tantos Thanagarianos mortos diante de Órion), a traição (ainda que esperada, no egoísmo de Darkseid), o preconceito (especialmente na forma da qual Forrageador é tratado), e até mesmo a salvação (pela aparição do Sr. Destino). Portanto, trata-se de uma saga bastante completa, curta, sem pré-requisitos e com uma história realmente interessante, além de uma arte que enche os olhos em formas ricas, urgentes e muito bem encaixadas com as cenas de ação.

A Odisseia é uma excelente ideia que nunca decepcionou. É como se fosse uma máscara, que revela um rosto inesperado e extremamente bonito, rico em nuances. E por isso, leva uma nota 8.5... E é preciso dizer: uma das mais tranquilas notas altas já dadas por aqui, sem uma molécula sequer de remorso ou dúvida.

Leave A Reply

Your email address will not be published.

%d blogueiros gostam disto: