O mundo precisa de Bojack Horseman!

“Back in the 90s I was in a very famous TV Show.” 

Eu terminei Bojack Horseman em Julho, bem no fim das férias; até cheguei a indica-la no Top 5 melhores sitcoms, mas nunca fiz uma crítica. Não porque não queria, só precisava de um tempo para refletir sobre a série.

Bojack Horseman foi o grande astro de uma série nos anos 80 chamada Horsin’ Around. Anos após o seu fim, a carreira de Bojack entrou em decadência e hoje ele tentar dar a volta por cima lançando sua biografia.

Aqui é nos apresentado o protagonista. Com tendencias para ser um anti-herói, Bojack é tudo que é mais desprezível em Hollywood; desistiu da carreira, passa seus dias em festas, só bebe e apenas aparece na TV quando comete algum gafe (tipo negar biscoitos para um herói de guerra).

screen-shot-2015-07-06-at-4-53-40-pm

É bem difícil falar do programa sem dar spoilers, levando em conta que todo o seu mérito vem de uma história incrível e um roteiro excepcional. O nosso protagonista sofre de depressão e os melhores diálogos vem de seus monólogos.

O mais interessante é que o programa consegue encaixar essas falas sem parecer forçado, quase como se fossem “memes depressivos”, fazendo você rir de tão trágico que aquilo se torna.

“I need to go take a shower, so I can’t tell if I’m crying or not” – Bojack 

Mesmo na abertura nós temos referências ao seu estado emocional, mostrando o seu dia a dia e como ele  vive tudo aquilo sem participar ativamente. Quase uma analogia sobre como ele se sentia sem controle e apenas parte de um cenário.

O desenvolvimento de personagens é incrível, até mesmo das secundárias. Você conhece um pouco mais delas a cada episódio, até mesmo os que, aparentemente, servem apenas para alívio cômico. Por exemplo, quando conhecemos um pouco mais sobre Todd ou Mr.Peanutbutter.

Aqui são tratados temas muito sérios como violência doméstica, abuso psicológico infantil, aborto, machismo, sexismo e até mesmo overdose; tudo bem distribuído em personagens chave, sem deixar que Bojack tome conta de toda a história.

Ter acontecimentos ou subtramas importantes faz com que você se apegue aqueles personagens, o que é necessário; como dito anteriormente, Bojack é uma espécie de anti-herói e várias de suas atitudes fazem você querer odiá-lo.

Quanto mais tempo passa, mais destrutivos seus atos vão se tornando e mais eles afetam as pessoas ao redor. Mesmo pessoas como Todd, que mostravam-se indiferentes para com suas atitudes, explodem.

“E um dia você vai olhar ao redor e descobrir que todos te amam, mas que ninguém gosta de você. Esse é o pior sentimento de todos” – Bojack.

Quando vamos visitar o passado do protagonista, começamos a entender seu posicionamento. Ele nunca teve apoio ou amor familiar. Seu pai era um cavalo preconceituoso e violento e sua mãe desconta a raiva que tinha do casamento em seu filho.tumblr_nbuq969of21tkm5rho5_500

Seu único escape era Secretariat , um cavalo de corrida por quem Bojack tinha uma admiração. Infelizmente, esse acaba por cometer suicídio.

Mesmo com essas justificativas, vários diálogos mostram que ter uma vida ruim não era desculpa para ser um babaca. “Bojack, para. Você é todas as coisas erradas com você. Nunca foi o álcool, ou as drogas, ou a sua carreira, nem mesmo todas as merdas que aconteceram na sua infância. Sempre foi você” – Todd.

Claro que toda essa depressão vem junto com ótimas tiradas de comédia e uma direção incrível. Dependendo do episódio, se for um flashback por exemplo, a música da abertura muda. ” Back in ’07 I was in a not-successful TV show”. 

Bojack Horseman me fez repensar sobre a vida, ficar triste, refletir sobre problemas sociais e até chorar de madrugada por personagens animados. Tudo isso com uma dose de bom humor e piadas incríveis. Lembrando que a série já foi renovada para uma quarta temporada!

NOTA: 9,8.

 

 


%d blogueiros gostam disto: